Fragmentos

O coração pulsando de vida…

Ando muito tensa com tudo, num nível máximo de estresse, sem dormir direito, com o corpo todo dolorido e a cabeça a ponto de estourar.
E vamos combinar que ninguém merece isso.
Por isso desliguei a tv e resolvi que não leio mais nada, e nem comento, sobre as vilanias cotidianas na internet.
Pelo menos temporariamente.

**
Aí hoje me veio à memória um monge budista que dizia, quando a gente estava down: “relembre o momento em que você foi muito feliz e se entregue a ele. permaneça nele“. E a gente ficava tentando, muitas vezes sem sucesso. porque felicidade pequena não contava, só aquelas de tirar o fôlego, de dar taquicardia, como se você saísse do corpo de tanto arrebatamento e se dissolvesse no tudo. E no nada.
E depois que alcançasse aquele momento, o sucesso era conseguir voltar a ele sempre que quisesse, sem mais recorrer às lembranças.

***
E eu tive momentos assim na minha vida, vários, todo mundo tem. Momentos vividos com outras pessoas ou na mais completa solidão. Envolvendo coisas grandes e coisas miudinhas. No passado que ficou lá atras ou no quase presente.
Esse exercício funciona pra mim, sempre. Porque lembra que nos momentos de felicidade tem beleza, tem delicadeza, tem alegria e principalmente tem o coração pulsando de vida.
Tem muita VIDA…

Então é isso que estou fazendo: me fortalecendo pra viver a realidade cotidiana sem me despedaçar.
Porque sou forte e sou muito maior do que essa vida picadinha de todo dia.