Fragmentos, Uncategorized

A amante de Guimarães Rosa

Guimarães Rosa era um prodígio no aprendizado de línguas, o que muito lhe ajudou enquanto era embaixador. Ele disse numa entrevista que:
Falava bem – português, alemão, francês, inglês, espanhol, italiano, esperanto e um pouco de russo.
Conseguia ler – sueco, holandês, latim e grego (mas com o dicionário agarrado).
Entendia – alguns dialetos alemães.
Estudou a gramática – do húngaro, do árabe, do sânscrito, do lituânio, do polonês, do tupi, do hebraico, do japonês, do checo, do finlandês, do dinamarquês.

 —
Sobre a sua relação com a língua portuguesa:
“É um relacionamento familiar, amoroso. A língua e eu somos um casal de amantes que juntos procriam apaixonadamente, mas a quem até hoje foi negada a bênção eclesiástica e científica. Entretanto, como sertanejo, a falta de tais formalidades não me preocupa. Minha amante é mais importante para mim.”