Fragmentos

É proibido!

Estava folheando um livro interessante sobre a sociedade portuguesa na época do Estado Novo, e fiquei sabendo de coisas inacreditáveis. O governo de Salazar proibia quase todo o prazer para os portugueses, principalmente os jovens.
Era proibido, por exemplo: beber coca cola | jogar cartas nos ônibus | dormir nos bancos dos jardins | usar isqueiros sem licença (!!) | aparecer na praia com maiô de duas peças, especialmente o biquini | o uso da minisaia | o homossexualismo | as mulheres só podiam sair do país com autorização do marido | o homem podia matar a mulher se desconfiasse que ela tinha outro.
😮

O beijo na boca, de acordo com o livro, era qualificado como um ato atentatório à moral e aos bons costumes. O infrator era identificado, levado para a delegacia e, alem da multa, tinha a cabeça completamente raspada com maquina zero.
E as multas altas eram divididas entre o Estado e o delator…

Engraçada era portaria nº 69.035, publicada em Lisboa no dia 2 de janeiro de 1953:

“Verificando-se o aumento de actos atentatórios à moral e aos bons costumes, que dia a dia se vêm verificando nos logradouros públicos e jardins (…) determina-se à Polícia e Guarda Florestais uma permanente vigilância sobre as pessoas que procurem frondosas vegetações para a prática de actos que atentem contra a moral e os bons costumes.
Assim, e em aditamento àquela Postura n.º 69,035, estabelece-se e determina-se que o art.º 48.º tenha o cumprimento seguinte:

1.º Mão na mão…………………..……..2$50
2.º Mão naquilo……………….……….15$00
3.º Aquilo na mão…………………….30$00
4.º Aquilo naquilo…………………….50$00
5.º Aquilo atrás daquilo…………..100$00

6.º – Parágrafo único – Com a língua naquilo, 150$00 de multa, preso e fotografado.”

😂😂😂😂

( O livro se chama “Proibido!”, escrito pelo jornalista António Costa Santos, e reeditado pela Ed Guerra & Paz – 2015)