Fragmentos

Nicanor Parra, o antipoeta centenário.

Dia 5 passado foi o aniversário do chileno Nicanor Parra, um dos maiores e mais criativos poetas da América Latina, indicado várias vezes ao Nobel… e a coisa mais extraordinária é que ele fez 103 anos e ainda está vivo e trabalhando!!

😀
Além de poeta, Parra é também pintor, físico e matemático e um grande estudioso e conhecedor da cultura popular chilena. Assim como sua irmã, a cantora Violeta Parra,  adora estar perto do calor das pessoas em seus momentos de comemoração, sendo figurinha carimbada nas festas de rua de Santiago e do interior do país. Ele é uma celebridade muito querida dos chilenos.

Em 2014, seu centenário foi comemorado com os tradicionais debates, exposições e lançamentos, mas principalmente com um grande baile popular em várias ruas, com orquestras de ‘cuecas’ (musica tradicional do país) e dançarinos bailando, especialmente no bairro de Dos Cruces, povoado de 2 mil habitantes no litoral chileno, onde nasceu e cresceu e ainda vive.

Na porta de entrada de sua casa, mandou pintar a frase: “Aqui vive a antipoesia”… Ele criou esse termo porque se considera um “antipoeta”, “um sujeito que escreve as coisas mais comuns, um vagabundo que ri de tudo, até da velhice e da morte

Há alguns anos Parra escreveu para um jornal argentino uma entrevista com ele mesmo, Nicanor entrevistando Parra, onde se define assim: “Diferente de todos nós, Nicanor não teme o ridículo nem nada.  Com ele se pode falar de tudo. Sua mente trabalha como um elétron, que quando a pessoa olha, já está em outro lugar (…) Grande admirador de Shakespeare, pensador da relatividade e praticante do taoismo, é uma equação vibrante e cheia de vida, que cavalga pelo cosmos montado em seu próprio sonho”.

 

Grande Parra… Um das minhas pessoas preferidas em todos os tempos.

Esse é um poema dele que diz muito de sua personalidade e que me emociona demais.

 

O QUE GANHA UM VELHO AO FAZER GINÁSTICA?

e o que ganha falando ao telefone?
e o que ganha ficando famoso?
e o que ganha um velho olhando-se no espelho?

Nada
afundar cada vez mais na lama

Já são três ou quatro da madrugada
– por que não trata de dormir?
mas não – tome ginástica
tome ligações de longa distância
tome Bach
Beethoven
Tchaikovsky
tome olhadas no espelho
tome obsessão de seguir respirando

lamentável – melhor seria apagar a luz

Velho ridículo lhe diz sua mãe
você é igualzinho ao seu pai
ele também não queria morrer
Deus lhe dê vida para andar de carro
Deus lhe dê vida para falar ao telefone
Deus lhe dê vida para respirar
Deus lhe dê vida para enterrar sua mãe

Fica aí dormindo velho ridículo!
Mas o ancião não está dormindo
não confunda chorar com dormir

Viva!!